Caprichosos de Pilares

De WikiRio
Ir para: navegação, pesquisa

Caprichosos de Pilares

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Caprichosos de Pilares é uma escola de samba da cidade do Rio de Janeiro. Fundada a 19 de fevereiro de 1949, por Oscar Lino (Seu Oscar), Dagoberto Bernardo (Beto Limoeiro), Valter Machado, Ferminiano Romão da Silva, Gilberto Ribeiro de Fonseca, Amarildo Cristiano, João Cândido,Sebastião Benjamim,Tia Alvarinda e Athayde Pereira está sediada na Rua Faleiros, no bairro de Pilares.1

Seu símbolo é um brasão contendo um pandeiro e uma caixa-de-guerra, tendo a sigla GRES em diagonal, envolto por duas serpentes azuis com as caudas enroladas entre si, as quais tem as iniciais da agremiação (CP) abaixo delas, havendo duas versões para a escolha. Para alguns, seria uma homenagem dos fundadores da escola à Força Expedicionária Brasileira (FEB), que atuou durante a Segunda Guerra Mundial e teria como lema "a cobra vai fumar". Para outros, a cobra representaria um animal que pudesse competir com outros animais símbolos de agremiações, como a águia portelense por exemplo.

De 1980 à 1989 todos sabem que a capital do samba é Madureira e o Palácio do Samba é em Mangueira, mas poucos conhecem a Fábrica de Músicos, assim conhecida a Caprichosos de Pilares. Na escola muitos músicos famosos se "alfabetizaram" em ritmo e os que não tem as suas raízes dentro do bairro, passaram para fazer "estágio" alguns deles: Dudu Nobre, Andrezinho da Mocidade, Anderson Leonardo, Xande de Pilares, Sandra de Sá, Simone, Paulinho Botelho, Mestre Mug, entre outros. Existem também outras pessoas, poucos conhecidas da mídia que integram várias bandas famosas da nossa MPB e grupos de pagode.

A sátira, a crítica e o bom humor constituem uma fórmula que marcam os carnavais da escola de Pilares. Os enredos, criados por Luiz Fernando Reis, falaram da inflação, criticaram os políticos, pediram as diretas já. Temas que agradavam e falavam pelo público.

Ficha técnica 2017

Caprichosos
Escola-madrinha Portela
Informações gerais
Presidente
Comissão Presidencial Fábio Caprichosos
Sidney de Pilares
Tia Maria Alice
Lee Santana
Jorge 101
Fred Marcondes
Adélia Rodrigues
Carnavalesco Luiz Fernando Reis
Interprete oficial Anderson Bala
Diretor de carnaval Marquinhos do Toldo
Diretor de harmonia André Jalles
Eddie Murphy
Diretor de bateria Mestre Alexandre
Rainha de bateria Tatiane Correa
Mestre-sala e porta-bandeira Jackson Senhorinho e Fernanda Lhove
Coreógrafo Gianco Kapinnam

História

A historiografia do Carnaval aponta a Caprichosos como uma espécie de dissidência de outra antiga agremiação de Pilares, a Unidos de Terra Nova,1 escola que em 1947 obteve o 21º lugar entre 26 escolas, não desfilando no ano seguinte. Um grupo de sambistas de Pilares resolveu criar então uma nova entidade. Suas cores iniciais eram vermelho e branco, depois as suas cores mudaram para azul e branco em homenagem a madrinha Portela

Não se sabe a que comunidade o nome "Terra Nova" faria referência, porém segundo Nelson da Nóbrega Fernandes, foi citado o nome de uma tal "Voz da Terra Nova" em uma apresentação de representantes de 61 escolas de samba ao ainda prefeito Hildebrando de Góis, todas supostamente filiadas à FBES, muito embora o autor admita que muitas delas eram escolas fantasmas criadas apenas para parecer dar mais peso à entidade representativa.

Em 1950, Caprichosos e Unidos da Terra Nova desfilaram pela UGESB, tendo a Caprichosos ficado na 14ª colocação, e a Terra Nova em 18º lugar, entre 20 escolas.

Desde sua fundação, em 1949, a Caprichosos de Pilares já conquistou quatro títulos de campeão do carnaval em grupos de acessos: em 1960 com o enredo Invasão Holandesa na Bahia,em 1971 com o tema Brasil na Primavera,em 1982 com o enredo Moça bonita não paga….O famoso carnaval da feira livre, indo ao grupo principal do carnaval carioca em 1983 conquistando enfim o status de grande escola de samba.

Por volta de 1974, Amaury Jório, presidente da AESCRJ, pediu ao administrador regional, que na época era o Oswaldo de Moura Brito Piragibe (Dr. Piragibe), que concedesse um espaço para a construção da quadra. O administrador se envolveu de tal forma com o projeto, que não só colaborou com a obra da quadra, mas também entrou para a história da escola, conseguindo a cessão pela Prefeitura do terreno que era um espaço de urbanização do viaduto Cristóvão Colombo.

Em 1985 a escola de Pilares consolidou seu estilo de carnaval irreverente, com uma mistura de política e humor no enredo E por falar em saudade…. A Caprichosos fez grandes carnavais. Marcados por seus sambas empolgantes e irreverentes, que sempre estiveram na ponta da língua do povão. Por isso, seus maiores títulos foram dados pelo grande público, como por exemplo, o Estandarte de Ouro em 1985.

Em 1993, com o enredo Não Existe Pecado do Lado de Cá do Túnel Rebouças, que fazia uma homenagem ao morador suburbano, a Caprichosos ficou em penúltimo lugar, só não sendo rebaixada (junto com a Unidos da Ponte) porque o presidente da Liesa, Paulo de Almeida, decidiu que não haveria rebaixamento.

Em meados da década de 1990, mais precisamente em 1995, a Caprichosos de Pilares abandona o estilo irreverente e apresenta na avenida um carnaval mais caro e luxuoso. O então carnavalesco Mauro Quintaes, discípulo de Joãosinho Trinta, desenvolveu o enredo com mais tecnologia do que a escola estava acostumada. Naquele ano, a Caprichosos botou o seu samba na boca do povo também: Vou me acabar nessa magia, e a Caprichosos traz a energia. Especula-se que essa mudança se deu devido à falta de bons resultados em termos de notas e classificações a que os desfiles irreverentes haviam conseguindo. Em 1996, com um enredo sobre o chocolate, a escola acabou rebaixada para o Grupo de Acesso. Por muito pouco não ficou, pois empatou com a Unidos da Tijuca que acabou levando a melhor no desempate. No ano seguinte, a Caprichosos foi vice-campeã do acesso e subiu novamente para o grupo especial, onde permaneceu até o carnaval de 2006.

A Caprichosos ainda chegou a desenvolver um enredo crítico em 2000, sobre a ditadura militar, e em 2004 homenageou Xuxa Meneghel, que participou da escola do samba enredo, na final da disputa interna, e desfilou no último carro alegórico. Ainda naquele ano, a escola perderia seu intérprete Jackson Martins, assassinado, em 08 de agosto.

Em 2005, com a volta da bom humor, fez uma homenagem aos vinte anos da LIESA.

Em 2006, a escola apresentou o enredo O Espírito Santo Caprichou, fazendo uma homenagem ao estado capixaba, naquele mesmo ano a LIESA mudou o regulamento e em vez de uma,duas escolas seriam rebaixadas,a escola terminou em décimo terceiro lugar,sendo rebaixada com a Acadêmicos da Rocinha que ficou em último lugar.

Em 2007, a escola desfilou no Grupo de acesso A e conquistou o vice-campeonato falando sobre o gás e o biodiesel,como a partir daquele ano apenas uma escola subiria ao Grupo Especial a que eventuamente seria a campeã do Acesso, a Caprichosos não retornou a elite do carnaval carioca. No dia 11 de outubro de 2007, a Caprichosos perdeu seu fundador, diretor de carnaval e vice-presidente administrativo, Athayde Pereira, que faleceu devido a um infarto fulminante.6

No ano seguinte, falando sobre o município de Itaboraí e com samba e enredos considerados belos, mas pecando nas alegorias com geradores mal decorados e ferro à mostra, a Caprichosos termina na 6° colocação.1

Em 2009, com o enredo No transporte da alegria…Me leva Caprichosos a caminho da folia, a Caprichosos fica em último lugar entre as escolas, mas se salva do iminente rebaixamento, porque a LESGA decidiu que ninguém cairia devido à crise mundial, que teria atrapalhado a preparação das agremiações.

Mas, especula-se que a "salvação" teria ocorrido porque o presidente da Inocentes de Belford Roxo escola que também seria rebaixada o Grupo B era o então presidente da LESGA.

Em 2010, mesmo sem muitos recursos, reeditou "E por falar em saudade", um desfile simples mas contagiante e animado, solto e livre, onde a escola saiu aclamada por todas as arquibancandas[carece de fontes], mas somente obteve a 7ª colocação. No mesmo ano, faleceu o português Ratinho, um dos maiores compositores da história da agremiação.

Em 2011 a escola trouxe o enredo "Gente Humilde", falando sobre as dificuldades do morador do Subúrbio carioca. A escola desfilou já pela manhã um desfile simples e humilde, mas mesmo assim com muita garra. No começo da apuração, a agremiação perdeu 0,5 ponto por apresentar um ``elemento estranho`` na comissão de frente, um tripé. Terminou na 10º colocação, descendo para o Grupo de Acesso B. Algumas semanas depois de ser rebaixada, houve eleição para presidente, pleito do qual saiu vitorioso o empresário Cézar Thadeu Vinheiros.

Em 2012, a Caprichosos apresentou-se pelo Grupo de Acesso B com o enredo "A Caprichosos faz o seu papel… levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!", do carnavalesco Amauri Santos. A escola fez um desfile muito competente, com fantasias e alegorias coerentes e muito bem acabadas. A comunidade cantou forte e brincou bastante na avenida. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Diego Falcão e Jaqueline Gomes, ventindo uma bela fantasia em tons de azul e prata, fez a mais bela apresentação da noite. Esse desfile marcou a volta de Clóvis Pê como intérprete, e trouxe uma nova rainha de bateria, Bianca Salgueiro, que foi rainha do carnaval carioca em 2011. Tendo computado 300 pontos na apuração ocorrida em 22/02, a agremiação sagrou-se campeã e voltando a desfilar pelo Grupo de Acesso A em 2013.

Para o desfile de 2013, por coincidir com a Mocidade Alegre, onde é o cantor oficial, Clóvis Pê se afasta do microfone oficial, mas não da escola. pra isso, nomeiou dois intérpretes oficiais: Sandro Motta e Lico Monteiro que no entanto se juntam a Celino Dias e Pepê Niterói. formando um quarteto de intérpretes da escola. sendo que Pepê, devido a diversas faltas, foi demitido. ficando com um trio de intérpretes.

Para 2014, a escola continuou com Amauri santos, sendo seu carnavalesco, houve mudanças na direção de carnaval e harmonia. e Thiago brito, retorna como intérprete da escola. seu samba foi escolhido em 21 de Setembro de 2013, onde sagrou-se vencedor a parceria de Jorginho Moreira, Frank, Rafael Gigante, Victor Rangel, Max Colonna e Edinho de Pilares, derrotando na final, as parcerias de Sylvinho, Dudu Mendes, Tuil Pontes, Geraldo Filho e Cláudio Bacana; Noquinha, JB, Noca da Portela, Anderson Maia, Nelsinho e Diogão Pereira e Aurélio Proença, Paulo Aparício, Mauro Speranza, Naldo da Carne de Sol, Mauro do Gato e Márcio do Swing num enredo sobre a Lapa11 , terminou na 9º colocação.

Após o carnaval, se teve um pleito onde se elegeu o então vice do ex-presidente Gilberto Nilo, sendo que o anterior presidente, passa a ocupar a presidência de honra.

Em 2015 a escola apresentou o enredo "Na minha mão é mais barato, do carnavalesco estreante Leandro Vieira. Com a volta da tradicional irreverência, a agremiação empolgou o público e fez a sua melhor apresentação da década segundo a crítica especializada terminando o o desfile na sétima colocação. com a saída de Leandro pra Mangueira, a agremiação trouxe de volta Amauri Santos que terá como enredo "Tem gringo no samba", num desfile que antes do carnaval, já se esperava devido a problemas internos, no que culminou no rebaixamento e consequentemente a desfilar na Intendente Magalhães, em 2017.

Após o fatídico carnaval que culminou em mais um rebaixamento, Gilberto Nilo se ausentou do comando da escola que definiu uma Comissão Presidencial pra assumir o comando da escola. onde com a manutenção de Amauri Santos tem o objetivo de retornar ao estilo que a consagrou na década de 80, além de um novo cantor com Anderson Bala, que substitue Thiago Brito.

Segmentos

Presidentes

Nome Mandato
Dalton Araújo 1975-1976
Antônio Villa-Forte 1977-1992
Fernando Leandro 1990-2000
Albertinho Leandro 2001-2004
Paulo Cardoso de Almeida 2005-2011
César Thadeu 2011-2014
Gilberto Nilo 2014-2016
Comissão Presidencial 2016-atual
Fábio Caprichosos, Sidney de Pilares, Tia Maria Alice, Lee Santana
Jorge 101, Fred Marcondes, Adélia Rodrigues

Rainha de bateria

Luma de Oliveira 1990
Vanessa de Oliveira 1991
Isadora Ribeiro 1992-1993
Valéria Valenssa 1994-1996
Elza Soares 1998
Valéria Valenssa 1999
Lú Mendonça 2000
Nana Gouvêia 2001-2004
Luma de Oliveira 2005
Mel Britto 2006-2011
Bianca Salgueiro 2012-2013
Aline Riscado 2014
Milena Nogueira 2015
Elaine Ranzatto 2016
Tatiane Correa 2017-atual

Enredos

Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco(s) Intérprete(s)
1950 14º lugar UGESB Grito do Ypiranga
1951 17º lugar UGESB Alavanca e Progresso
1952 7º lugar 2 Homenagem a Santos Dumont
1953 7º lugar 2 Beijamin Constant
1954 Vice-Campeã 2 Asas do Brasil
1955 10º lugar 1 Maria Quitéria
1956 14º lugar 1 Exaltação à Justiça brasileira
1957 8° lugar 1 Glória ao General Osório
1958 15° lugar 1 Glória à música brasileira
1959 10º lugar 1 Laços de fita
1960 Campeã 2 Invasão holandesa na Bahia
1961 9° lugar 1 Império de D. Pedro II
1962 4° lugar 2 Galeria dos Bravos
1963 9° lugar 2 A lenda da pedra verde
1964 10º lugar 2 IV Centenário do Rio de Janeiro
1965 11° lugar 2 O último baile da corte imperial
1966 12° lugar 2 A transmigração da família real
1967 11° lugar 2 O Brasil através de suas músicas
1968 13° lugar 2 Negrinho do Pastoreio
1969 8° lugar 3 A Revolução do Alfaiates da Bahia
1970 11° lugar 3 Aclamação da Princesa Isabel
1971 Campeã 3 Brasil na primavera
1972 11° lugar 2 Brasil - a flor que desabrocha
1973 13° lugar 2 Aclamação e coroação de D. Pedro I
1974 4° lugar 3 Adeus praça XI, adeus
1975 10º lugar 2 Congada do Rei David Carlinhos de Pilares
1976 13° lugar 2 Devaneios de um Pierrot Carlinhos de Pilares
1977 3° lugar 3 Maria Quitéria, heroína de uma raça Carlinhos de Pilares
1978 6° lugar 2 Festa da uva no Rio Grande do Sul Carlinhos de Pilares
1979 6° lugar 1-B Uruçumirim, Paraíso tupinambá Carlinhos de Pilares
1980 5° lugar 1-B É a maior - Emilinha Borba Roberto D'Rodrigues Quinzinho
1981 12° lugar 1-B Amor, sublime amor Roberto D'Rodrigues Manoel Passos
1982 Campeã 1-B Moça bonita não paga Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1983 Hours-concurs 1-A Um cardápio à brasileira Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1984 6º lugar 1-A A Visita da Nobreza do Riso a Chico Rei, num Palco nem Sempre Iluminado Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1985 5º lugar 1-A E por falar em saudade Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1986 9° lugar 1-A Brazil, não seremos jamais, ou seremos? Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1987 8º lugar 1-A Eu prometo Luiz Fernando Reis Carlinhos de Pilares
1988 8º lugar 1-A Luz, câmera, ação Renato Lage e Lílian Rabello Carlinhos de Pilares
1989 12° lugar 1-A O que é bom todo mundo gosta Renato Lage e Lílian Rabello J.Leão
1990 13º lugar Especial Com a boca no mundo Alexandre Louzada Aroldo Melodia
1991 10º lugar Especial Terceiro Milênio - Em busca do juízo afinal Alexandre Louzada Carlinhos de Pilares
1992 11º lugar Especial Brasil feito a mão... do barro ao carnaval Alexandre Louzada e Washington Luiz Carlinhos de Pilares
1993 13º lugar Especial Não existe pecado do lado de cá do Túnel Rebouças Luiz Fernando Reis Márcio Souto
1994 10º lugar Especial Estou amando loucamente uma coroa de quase 90 anos Luiz Fernando Reis Luizito
1995 10º lugar Especial Da terra brotei, negro sou e ouro virei Mauro Quintaes Luizito
1996 15º lugar Especial Samba, sabor chocolate Alexandre Louzada Luizito
1997 Vice-campeã A Do tambor ao computador Amarildo de Mello Jackson Martins
1998 10º lugar Especial Negra Origem - Negro Pelé, negra Bené Jerônimo Guimarães Jackson Martins
1999 9° lugar Especial No universo da beleza, mestre Pitanguy Etevaldo Brandão Jackson Martins
2000 11º lugar Especial Brasil, teu espírito é santo Etevaldo Brandão Jackson Martins
2001 12º lugar Especial Goiás, um sonho de amor no coração do Brasil Jaime Cezário Jackson Martins
2002 12º lugar Especial Deu pra ti! Tô em alto astral! Tô com Porto Alegre, trilegal! Jaime Cezário Jackson Martins
2003 10º lugar Especial Zumbi, Rei de Palmares e herói do Brasil. A história que não foi contada Jaime Cezário Jackson Martins
2004 13º lugar Especial Xuxa e Seu Reino Encantado no Carnaval da Imaginação Cahê Rodrigues Jackson Martins
2005 11º lugar Especial Carnaval, Doce Ilusão - A Gente Se Vê Aqui, no Meio da Multidão! 20 Anos de Liga Chico Spinoza Serginho do Porto
2006 13º lugar Especial Na Folia Com o Espírito Santo: o Espírito Santo Caprichou Chico Spinoza Clóvis Pê
2007 2º lugar A Com Todo o Gás, a Caprichosos Acende a Chama do Carnaval Marcos Januário Clóvis Pê
2008 6º lugar A De Santo Antônio de Sá ao Polo Petroquímico, Itaboraí...uma terra abençoada! Lane Santana Zé Paulo
2009 10° lugar Acesso No transporte da alegria...Me leva Caprichosos a caminho da folia Lane Santana e Sandro Gomes Zé Paulo
2010 7º lugar Acesso E por falar em saudade Comissão de Carnaval Thiago Brito
Élcio Paim, Alexandre Rangel, Raphael Torres
Eduardo Minucci e Luiz Fernando Reis
2011 10° lugar A Gente humilde Amauri Santos Thiago Brito
2012 Campeã B A Caprichosos faz o seu papel... levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima! Amauri Santos Clóvis Pê
2013 6º lugar Série A Fanatismo: Enigma da Mente Humana Amauri Santos Celino Dias, Lico Monteiro e Sandro Motta
2014 9° lugar Série A Dos Malandros e das Madames: Lapa, a Estrela da Noite Carioca Amauri Santos Thiago Brito
2015 7º lugar Série A Na Minha mão é Mais Barato Leandro Vieira Thiago Brito
2016 14° lugar Série A Tem gringo no samba Amauri Santos Thiago Brito
2017 Série B Não deu para mudar o começo, mas vamos mudar o final Luiz Fernando Reis Anderson Bala


Endereço

Rua Faleiros, 1 - Pilares (Zona Norte) - Rio de Janeiro
Carregando mapa...

Mais informações

  • Site: [http://]
  • Telefone: (21)

Escolas de samba do Rio de Janeiro 2017

Grupo Especial
Domingo: Paraíso do TuiutiGrande RioImperatrizVila IsabelSalgueiroBeija-Flor

Segunda: União da IlhaSão ClementeMocidadeUnidos da TijucaPortelaMangueira
Série A
Sexta: SossegoAlegriaViradouroImpério da TijucaParque CuricicaEstácioSanta Cruz

Sábado:RocinhaCubangoInocentesImpério SerranoUnidos de Padre MiguelRenascerPorto da Pedra
Série B
Terça: Vizinha FaladeiraCaprichososJacarezinhoCabuçuEngenho da RainhaTradiçãoPonteLeãoFavoEm Cima da HoraSanta MartaArameUnidos de Bangu
Série C
Segunda: Vila KennedyArrancoUnião de JacarepaguáBoca de SiriArrastãoLins ImperialVargensVigário GeralUnião de MaricáFlor da MinaCoroadoVila Santa TerezaSerenoLucas
Série D
Domingo: Alegria do VilarDendêVilla RicaMocidade da Cidade de DeusChatubaRosa de OuroManguinhosMocidade de InhaúmaNação InsulanaImpério da UvaDifícil é o NomeTupy de Brás de PinaCosmosAbolição
Série E
Sábado das Campeãs: Feitiço do RioAmarelinhoUnidos do SalgueiroJardim BanguCabralEmbalo CariocaGatoImpério RicardenseChora na RampaColibriBoêmios de InhaúmaPilaresDelírioMadureiraBoi da Ilha
Outros

ResultadosEnsaios técnicosDiscografiaCampeãs (EspecialSérie A - B - C - D - E)