Baía de Guanabara

De WikiRio
Revisão de 09h43min de 1 de novembro de 2012 por Edgard (Discussão | contribs) (moveu HAGGER!!!!!!!!!!! para Baía de Guanabara sobre redirecionamento)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Baía de Guanabara

A Ponte Rio-Niterói cruza a Baía de Guanabara, ligando a cidade de Niterói ao Rio de Janeiro.

A cidade do Rio de Janeiro deve muito da sua beleza á Baía de Guanabara.

Para os tupinambás que habitavam a região antes da chegada dos portugueses ela era Goanã-pará conjunção de gwa (baía, enseada) + na (semelhante) + ba'ra (mar), uma “baía semelhante ao mar”, ou ainda, para outros, "seio de onde brota o mar". A sonoridade do nome, na sua essência, permaneceu, e Guanabara é ainda hoje o nome da formosa baía situada no estado do Rio de Janeiro que encantou índios, colonizadores e quem mais teve a oportunidade de conhecer sua paisagem. Sua beleza da sua paisagem e a natureza exuberante do seu entorno são permanentemente referidas por viajantes, por viajantes, pintores e poetas.

A Baía da Guanabara pode ser considerada um estuário que engloba cerca de 30 rios que ao se juntarem formam a região hidrográfica da Baía da Guanabara. Ao nela adentrar, em janeiro de 1502, o explorador português Gaspar de Lemos julgou que efetivamente ela era a foz de um rio, batizando-o de Rio de Janeiro, nome mais tarde adotado pela atual capital do Estado.

No entorno da baia da Guanabara estão Niterói, Rio de Janeiro, Petrópolis, Nilópolis, São Gonçalo, Maricá, Sâo João do Meriti, Belford Roxo, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Magé, Itaboraí, Guapimirim, Cachoeira de Macacu e Rio Bonito. A intensa ocupação e urbanização da região, e o grande tráfego de embarcações em suas águas tem promovido significativa degradação da Baia da Guanabara.

Ainda assim, a região mantém o seu encanto, ladeada que está por uma imensidão de maciços de pedras – destacando-se, na sua entrada, o Pão de Açucar e morros de contornos irregulares que formam um porto de abrigo natural. Em extensão, é a segunda maior baía do litoral brasileiro, com uma área de aproximadamente 400 km², ficando atrás, apenas, da Baía de Todos os Santos. No seu interior há cerca de 22 ilhas e ilhotas, entre as quais se destaca a Ilha de Paquetá, que por sua beleza e tranquilidade frequentemente era visitada por D. João VI.


Aspectos geográficos

A baia da Guanabara tem sua origem em uma depressão tectônica entre a Serra dos Órgãos e diversos maciços costeiros menores. A profundidade na altura da Ponte Rio-Niterói é de cerca de 8 metros, e de 17 metros no canal de entrada da barra. Nas áreas onde deságuam a maior parte dos rios, o acúmulo de sedimentos forma áreas de manguezais, envoltas por Mata Atlântica. Apesar da poluição, a região ainda hoje abriga riquíssima fauna e flora, anotando-se a presença de golfinhos, tartarugas-marinhas, bagres,paratis, sardinhas e tainhas. Há registros de que a baía esteve na rota migratória das baleias francas que buscavam as suas águas para procriação.


Pesca

A pesca como lazer é realizada com molinete e em embarcações. Na praia do Galeão, na Ilha do Governador, há um pier para pesca de molinete e na praia da Ribeira e Pitangueiras a pesca é feita diretamente do calçadão.


Atrações turísticas dentro da Baía de Guanabara

  • Ponte Rio-Niterói - Ponte Presidente Costa e Silva, conhecida como Ponte Rio-Niterói, com 13 quilômetros de extensão é uma das maiores pontes do mundo. Tem 70 metros de altura no trecho do vão central e foi inaugurada em 1974. É, também, a principal ligação da capital com Niterói e o interior do estado, sobretudo o polo turístico da Região dos Lagos.
  • Ilha Fiscal -
  • Ilha de Paquetá - Muito procurada pelos turistas, é um bairro de importância histórica, turística e cultural. Não há carros na ilha, e a locomoção é feita em charretes, bicicletas ou no trenzinho. Há, para acesso à ilha, uma linha regular de barcas que partem da Praça XV de Novembro, no Rio de Janeiro.
  • Forte da Lage - Este forte, junto com as fortificações de Santa Cruz e São João ajudava a formar uma barreira quase intransponível aos corsários franceses, em suas frequentes investidas na busca por ouro, açúcar e especiarias.
  • Enseada de Botafogo - Belíssima enseado que tem como pano de fundo o Pão de Açúcar.

Fortaleza de Santa Cruz ¬- Abertos à visitação – estrada Gen. Eurico Gaspar Dutra s/nº , Niterói -Tel: (21) 2711 0166 Forte do Imbuhy - Abertos à visitação – Al. Mal. Pessoa Leal,265 , Niterói - Tel: (21) 2711 0366 Forte Duque de Caxias – Abertos à visitação – Praça Almirante Júlio de Noronha s/ nº - Leme – Tel: (21) 2275 3122 Museu Naval – Av. Alfredo Agache, s/nº ,Centro( próximo a praça XV,Rio de Janeiro) – Tel: (21) 2104 5325


Poluição

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) recolhe lixo da Baía de duas a três vezes por semana com a ajuda de catadores, além de gerenciar as ecobarreiras em rios afluentes, que filtram em média 800 toneladas de detritos por mês. Mesmo assim a Baía de Guanabara sofre com a poluição e, embora o governo do Estado tenha prometido a despoluição da baía para as Olimpíadas de 2016, quase nada foi feito.

Onde fica

A Baia de Guanabara fica no Estado do Rio de Janeiro e se estende por três cidades: Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo.



Como Chegar

Carregando mapa...

Ligações Externas

Não encontrou a informação que procura?
Nos envie sua dúvida e lhe responderemos o mais rapidamente possível. E você ainda estará nos ajudando a tornar o WikiRio ainda mais completo.

Entre em contato com o WikiRio


ATENÇÃO: AS INFORMAÇÕES AQUI CONTIDAS SÃO FRUTO DO ESFORÇO DOS COLABORADORES DO SITE E OS DADOS ORA DISPONIBILIZADOS, PODEM CONTER INCONSISTÊNCIA OU DESATUALIZAÇÃO. O WIKIRIO RECOMENDA QUE SE FAÇAM CONSULTAS EM OUTROS MEIOS COM O INTUITO DE CERTIFICAR-SE DAS INFORMAÇÕES SUPRACITADAS.
Para saber mais sobre nossa política de conteúdo, clique aqui.