Unidos do Viradouro

De WikiRio
Ir para: navegação, pesquisa

Unidos do Viradouro

O Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos do Viradouro é uma escola de samba tradicional da cidade de Niterói, mas que há muitos anos participa do Carnaval da cidade do Rio de Janeiro. Oriunda do bairro do Viradouro, atualmente está sediada na Avenida do Contorno, no bairro do Barreto.1 4 Foi campeã do Grupo Especial em 1997, campeã do Grupo 1 (atual Série A) em 1990 e campeã do Grupo 2 (atual Série B) em 1989. Durante muitos anos disputou a hegemonia do carnaval de sua cidade com a Cubango. em 2011, as duas se reencontraram, competindo entre si, após 24 anos.

Ficha técnica 2017

Viradouro
Escola-madrinha Portela
Informações gerais
Presidente Gustavo Clarão
Presidente de honra Marcelo Kalill
Carnavalesco Jorge Silveira
Interprete oficial Zé Paulo
Dominguinhos do Estácio
Diretor de carnaval
Diretor de harmonia
Comissão de carnaval e harmonia Miltinho Souza
Pablo Fernandes
Alex Fab
Dudu Falcão
Diretor de bateria Mestre Maurão
Rainha de bateria Raíssa Machado
Mestre-sala e porta-bandeira Diego Machado e Alessandra Chagas
Coreógrafo Anderson Rodrigues

História

A escola de samba Viradouro é uma das mais tradicionais e já conta com mais de 60 anos de história. Foi fundada em Niterói, por Jangada, codinome pelo qual era conheido o sambista Nélson dos Santos, nos idos de 1946. O nome deve-se à rua em que tudo começou, a Rua Dr. Mário Viana, que na sua parte alta era conhecida como rua de Viradouro, que assim era conhecida pois nela era que o bonde fazia contorno para retomar seu trajeto.

Entre 1947 e 1985 a escola disputou o carnaval de Niterói, e somente desfilava na capital esporadicamente. Em Niterói tinha grande hegemonia, tendo sido campeã por 18 vezes.

A partir de 1986 opta por firmar-se no carnaval carioca, e passa a concorrer todos os anos no carnaval do Rio de Janeiro até ascender ao Grupo Especial – a elite do carnaval – em 1991.

Tem entre seus carnavais mais marcantes aquele de 1991, seu primeiro ano na especial, em que homenageou Dercy Gonçalves. A sempre polêmica e septuagenária homenageada desfilou com os seios à mostra.

Em 1992 seu desfile teve um incêndio em plena Sapucaí, o que acabou prejudicando bastante a escola. Neste ano a escola ficou em 9º lugar. O carnavalesco de seus primeiros anos de Grupo Especial foi Max Lopes. A partir de 1994 o genial Joãosinho Trinta assumiu os desfiles da escolas, levando-a a um 3º. Lugar. Passaram pela escola também Paulo Barros e Milton Cunha.

Em 1997, sob o comando de Joasinho Trinta, e com o samba enredo "Trevas! Luz! A Explosão do Universo" a Viradouro atinge seu ápice e é finalmente campeã do carnaval carioca. O desfile era em torno da criação do mundo e do Big-Bang, e Joãosinho Trinta imprimiu sua visão da criação do universo usando o branco e o escuro dos componentes do desfile para passar a idéia do antagonismo entre matéria e antimáteria que se digladiavam nas etapas iniciais da criação.

No ano seguinte, a escola apresentou o enredo "Orfeu, o Negro do Carnaval", baseado no filme de mesmo nome, que misturava mitologia grega à realidade social brasileira. Naquele ano a escola esperava repetir o sucesso do ano anterior, mas somente conseguiu um quinto lugar, o que a levou a protestar no desfile das campeãs, com alguns de seus integrantes inclusive usando narizes de palhaço. A partir daí, a escola conseguiu sempre chegar ao Desfile das Campeãs, exceto em 2005, quando ficou na 8º posição.

Em 2004 a escola do bairro do Barreto reeditou "A festa do Círio de Nazaré", enredo da Unidos de São Carlos apresentado em 1975, inicialmente a proposta da escola era um enredo inédito sobre a romaria Paraense, porém o então presidente José Carlos Monassa à época interrompeu a disputa de samba-enredo da escola e anunciou a reedição do samba estaciano. se o critério de descarte da nota mais baixa fosse aplicado nessa época, a escola teria sido campeã do carnaval daquele ano, com 299,8 pontos se descontadas todas as notas minimas de cada quesito, exceto bateria que teve as notas de um julgador anuladas por quebra de sigilo.

No ano de 2005, a escola perdeu seu presidente, o bicheiro José Carlos Monassa Bessil Para sua sucessão, foi eleito o advogado Marco Lira.

Em 2007, a agremiação de Niterói apostou todas as fichas no talento do carnavalesco Paulo Barros, ao trazer o enredo "A Viradouro vira o jogo", tentando repetir o sucesso que o mesmo alcançara anos antes na Tijuca. O carnavalesco colocou a bateria em cima de um carro alegórico, um grande tabuleiro de xadrez; esta, conduzida pelo Mestre Ciça, tendo a frente como rainha de bateria Juliana Paes, desceu do carro em plena avenida. O samba, mesmo não sendo considerado pela crítica como um dos melhores, era animado e dizia no refrão "esse jogo vai virar, eu quero ser, o vencedor", tendo sido cantado por torcidas organizadas de futebol meses após o carnaval, fenômeno que não acontecia desde o "Ita" do Salgueiro, em 1993. Mesmo assim, o resultado mais uma vez ficou abaixo do esperado. Em 2008, a escola começou o ano com seu presidente sofrendo um atentado,13 num ano em que levou para a avenida o enredo "É de Arrepiar!" que falava sobre as diversas sensações sentidas pelo ser humano, que lhe causariam arrepios, tais como frio, prazer sexual, emoção de um modo geral, medo, nojo e aversão à maldade. Para tanto, a agremiação trocou de intérprete e diretores de carnaval e de harmonia. A comissão de frente, trouxe homens de gelo, inspirados no personagem inimigo do Batman, que desciam de uma pista de esqui, improvisada sobre o carro abre-alas. Mas o desfile veio incompleto, pois um dos carros alegóricos, que representaria as vítimas do Holocausto, foi proibido pela justiça após ação proposta por grupos judaicos, que consideraram o carro ofensivo. Indignado, o carnavalesco argumentou que não se poderia censurar a história, e o samba não seria menos digno para contar uma história real do que foram os filmes, como "A Lista de Schindler". com a proibição, todas as esculturas foram destruídas, e o carro alegórico passou todo coberto pelo desfile, o que certamente custou pontos à escola, que obteve as seguintes notas: 9.6 / 9.9 / 9.8 / 9.9, ou seja, nenhuma nota máxima no quesito. Novamente, a agremiação acabava fora do desfile das campeãs; porém, se a regra de descarte da nota mais baixa já valesse, ela chegaria em sexto lugar, a frente da Imperatriz.

Com a recusa de Paulo Barros em fazer um carnaval um pouco mais tradicional e luxuoso, o que fugiria de seu estilo, este acabou sendo demitido da Viradouro18 19 , que para o seu lugar contratou, para o carnaval de 2009, o carnavalesco Milton Cunha, que retornou à agremiação20 . A escola trouxe também novo intérprete: David do Pandeiro, que estava na Santa Cruz. Ainda em 2008, após o Carnaval, houve nova eleição para a presidência e cogitou-se a candidatura de Luma de Oliveira, mas por fim Marco Lira foi reeleito.

Para 2010, levou para a avenida um enredo sobre o México, de Júnior Schall e Édson Pereira. tendo passado por muitos problemas em quase todo pré carnaval, se envolvendo também em muitas polêmicas. A começar pela escolha da rainha de bateria, Julia Lira, de apenas 7 anos, filha de Marco Lira Houve quem criticasse a ideia, uma vez que o cargo de rainha de bateria é geralmente ocupado por mulheres que são vistas como símbolos sexuais, e que desfilam quase sempre com muito pouca roupa. Inclusive na própria Viradouro, o posto já havia sido anteriormente ocupado por Luma de Oliveira e Juliana Paes. Marco Lira rebateu críticas dizendo que quem olhasse a questão por esse lado "precisaria procurar um médico". Por fim, a participação da menina foi um sucesso. mas o desfile foi considerado bem abaixo da crítica, principalmente pelo fato de a Viradouro ter sido a quarta a desfilar no domingo, logo em seguida à Tijuca, que acabou sendo campeã. Depois de 20 anos de grupo especial, a escola acabou terminando na última colocação, sendo rebaixada, causando revolta no presidente

Marcos Lira acabou renunciando à presidência da Viradouro em abril de 2011. Desde então a escola permanece no grupo de acesso e traça estratégias para seu retorno ao Grupo Especial. Para 2013 alimenta as esperanças de voltar à primeira divisão do carnaval carioca com a reincorporação às suas fileiras do carnavalesco Max Lopes e com a defesa de um samba enredo dedicado aos 60 anos do Salgueiro. Após um desfile bonito e simples, ficou em segundo lugar com 299,6 pontos. quase subiu ficou apenas atrás da campeã Império da Tijuca que obteve a pontuação máxima de 300 pontos.

Ainda depois do desfile, a escola ficou sem barracão, devido a revitalização do Porto. Depois de oito meses mantendo suas alegorias em um terreno a céu aberto na Avenida Brasil a escola conseguiu se alojar no antigo barracão da Estação Primeira de Mangueira próximo do Sambódromo39 . Para 2014, a escola apostou no enredo "Sou a Terra de Ismael,'Guanabaran' eu vou Cruzar... Pra Você Tiro o Chapéu, Rio eu vim te Abraçar" onde cantou em homenagem à sua cidade natal; reforçou seu carro de som com o intérprete Zé Paulo que veio da Mangueira, apostou no jovem carnavalesco João Victor Araújo e teve entre os autores do samba-enredo da escola o cantor Dudu Nobre. A escola depois de muitas dificuldades com o barracão fez um excelente e desfile e passou a figurar entre as favoritas ao titulo da Serie A, favoritismo esse que veio a se confirmar na apuração, onde com apenas uma nota diferente de dez a escola sacramentou seu retorno ao Grupo Especial em 2015.

No seu retorno a elite do samba, a escola enfrentou diversos problemas a começar pela falta de dinheiro e chuva. que culiminaram no seu retorno a Série A. em 2016 retornando ao segundo grupo, a agremiação traz nomes de peso, como Mestre Paulinho para direção de bateria e o casal de mestre-sala e porta-bandeira Marquinnhos e Giovanna. além do ex-presidente da Vila Isabel (Wilsinho) sendo diretor de carnaval e novamente Max Lopes, como carnavalesco.

Segmentos

Presidentes

Nome Mandato
Albano Ferreira de Mattos 1947-1974
1975-1978
Nelson Jangada
Jorge Caduza
Ito Machado
Jorjão Montenegro
Luiz Sérgio
Gelson dos Santos
Mário Coutinho
Albano Ferreira de Mattos 1979-1992
José Carlos Monassa Bessil (Monassa) 1993-1994
Ito Machado 1995
Luiz Henrique Monassa Bessil 1996 a 1998
José Carlos Monassa Bessil (Monassa) 1999-2005
Marco Lira 2006-2010
Gusttavo Clarão 2011-atual

Rainhas de bateria

Nome Período
Patrícia Costa 1992-1998
Luma de Oliveira 1999-2003
Juliana Paes 2004-2008
Juliane Almeida 2009
Júlia Lira 2010
Dani Bananinha 2011
Patrícia Costa
Monique Alfradique 2012
Dandara Oliveira 2013
Raíssa Machado 2014-atual

Enredos

Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco(s) Intérprete(s)
1947
1948
1949 Campeã Esp.Nit Araribóia
1950 Campeã Esp.Nit Tiradentes - Mártir da Independência
Não desfilou em 1951
1952 Campeã Esp.Nit Vultos Nacionais
1953 Campeã Esp.Nit Cândido Rondon
1954 Concurso anulado Estado do Rio
1955 'Vice-campeã Esp.Nit Batalha Naval do Riachuelo
1956 Campeã Esp.Nit Independência do Brasil
1957 Campeã Esp.Nit Quatro grandes feitos da História
1958 Campeã Esp.Nit Primeiro Reinado
1959 Campeã Esp.Nit Carlos Gomes
1960 3º lugar Esp.Nit Catulo da Paixão Cearense
1961 Não concorreu Festa junina em pleno carnaval
1962 Campeã Esp.Nit A Chegada da Família Real
1963 Campeã Esp.Nit O Último baile imperial
1964 Não desfilou Maria Quitéria
1965 26º lugar 3 Rio Quarto Centenário
1966 Menção honrosa Homenagem a Niterói
1967 Vice-Campeã Esp.Nit Chico Rei
1968 Vice-Campeã Esp.Nit Rugendas - viagem pitoresca através do Brasil
1969 Vice-Campeã Esp.Nit A Festa do Divino
1970 Vice-Campeã Esp.Nit Quilombo dos Palmares
1971 Campeã Esp.Nit São Francisco - rio da integração nacional
1972 Vice-Campeã Esp.Nit Três festas tradicionais brasileiras Comissão de Carnaval
Érico Lameiras, Nelson dos Santos e Juvenil
1973 Campeã Esp.Nit Niterói - sua origem e evolução Comissão de Carnaval
Clóvis Bornay, Érico Lameiras e Nelson dos Santos
1974 Campeã Esp.Nit Pleito de vassalagem de Olorum Augusto Henrique Alves
1975 Vice-Campeã Esp.Nit Rei Midas de Catas Altas Augusto Henrique Alves
1976 3º lugar Esp.Nit Só mesmo na Bahia Augusto Henrique Alves
1977 3º lugar Esp.Nit No mundo encantado da fantasia Augusto Henrique Alves
1978 Vice-Campeã Esp.Nit Ídolos de Ébano Comissão de Carnaval
Max Lopes, Érico Lameiras e Floriano Carvalho
1979 Vice-Campeã Esp.Nit Ainda um paraíso tropical Érico Lameiras e Gilberto
1980 Campeã Esp.Nit Os três encantos do rei Comissão de Carnaval Silvinho da Portela
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1981 Campeã Esp.Nit Amor em Tom Maior Comissão de Carnaval Silvinho da Portela
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1982 Campeã Esp.Nit Mutou Muido Kitoko Comissão de Carnaval Silvinho da Portela
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1983 Campeã Esp.Nit Acredite se quiser Comissão de Carnaval Silvinho da Portela
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1984 Campeã Esp.Nit O sonho de Ilê Yfé Comissão de Carnaval Silvinho da Portela
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1985 Vice-Campeã Esp.Nit Na terra de Antônio Maris, só não viu quem não quis Comissão de Carnaval Lula da Mangueira
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1986 Avaliação Novos ventos, novos tempos - História de uma integração Comissão de Carnaval Torino
Yarema Ostrog, Hilda Perna e Adriano Jorge
1987 5° lugar 4 Na Boca e na Ponta da Língua ... É carnaval Rodney Lucas e Alexandre Louzada Torino
1988 Vice-Campeã 4 Contribuição do Negro ao Folclore Brasileiro Rodney Lucas Torino
1989 Campeã 3 Mercadores e Mascates Rodney Lucas Torino
1990 Campeã 1 Só vale o escrito Max Lopes Torino
1991 7º lugar Especial Bravo! Bravíssimo! - Dercy Gonçalves, o retrato de um povo Max Lopes Quinzinho
1992 9º lugar Especial E a magia da sorte chegou Max Lopes Quinzinho
1993 7º lugar Especial Amor, sublime amor Max Lopes Quinzinho
1994 3º lugar Especial Tereza de Benguela - Uma rainha negra no Pantanal Joãosinho Trinta Rico Medeiros
1995 8º lugar Especial O rei e os três espantos de Debret Joãosinho Trinta Rico Medeiros
1996 13º lugar Especial Aquarela do Brasil ano 2000 Joãosinho Trinta Nêgo Martins
1997 Campeã Especial Trevas! Luz! A explosão do universo Joãosinho Trinta Dominguinhos do Estácio
1998 5º lugar Especial Orféu, o negro do carnaval Joãosinho Trinta Dominguinhos do Estácio
1999 3º lugar Especial Anita Garibaldi - Heroína das sete magias Joãosinho Trinta Dominguinhos do Estácio
2000 3º lugar Especial Brasil: visões de paraísos e infernos Joãosinho Trinta Dominguinhos do Estácio
2001 5º lugar Especial Os sete pecados capitais Lane Santana Dominguinhos do Estácio
2002 5º lugar Especial Viradouro, Vira-Mundo, Rei do Mundo Chico Spinoza Dominguinhos do Estácio
2003 6º lugar Especial A Viradouro canta e conta Bibi, uma homenagem ao teatro brasileiro Mauro Quintaes Dominguinhos do Estácio
2004 4ºlugar Especial Pediu Pra Pará, Parou! Com a Viradouro Eu Vou... Pro Círio de Nazaré Mauro Quintaes Dominguinhos do Estácio
2005 8º lugar Especial A Viradouro é só sorriso! Mauro Quintaes Dominguinhos do Estácio
2006 3º lugar Especial Arquitetando Folias Comissão de Carnaval Dominguinhos do Estácio
Milton Cunha, Mário Monteiro e Kaká Monteiro
2007 5º lugar Especial A Viradouro vira o Jogo Paulo Barros Dominguinhos do Estácio
2008 7º lugar Especial É de arrepiar Paulo Barros Nêgo
2009 8ºlugar Especial Vira-Bahia, pura energia Milton Cunha David do Pandeiro
2010 12º lugar Especial México, o Paraíso das Cores, sob o Signo do Sol Júnior Schall e Edson Pereira Wander Pires
2011 2º lugar Acesso Quem Sou Eu Sem Você? Jack Vasconcelos Leléu, Diego Nicolau, Gilberto Gomes e Niu
2012 5º lugar Acesso A Vida Como Ela é, Bonita mas Ordinária... Assim Falou Nelson Rodrigues Alexandre Louzada Leléu, Diego Nicolau, Gilberto Gomes e Niu
2013 2º lugar Série A Nem melhor nem pior, que não sai da minha mente. Inspiração para o meu samba, eu também sou diferente Max Lopes Diego Nicolau, Gilberto Gomes, Niu e David do Pandeiro
2014 Campeã Série A Sou a Terra de Ismael, 'Guanabaran' eu vou Cruzar... Pra Você Tiro o Chapéu, Rio eu vim te Abraçar João Vitor Araújo Zé Paulo
2015 11º lugar Especial Nas veias do Brasil, é a Viradouro em um dia de graça João Vitor Araújo Zé Paulo
2016 3º lugar Série A O Alabê de Jerusalém, a saga de Ogundana! Max Lopes Zé Paulo
2017 Série A E todo menino é um Rei Jorge Silveira Zé Paulo e Dominguinhos do Estácio


Endereço

Avenida do Contorno, 16 - Barreto () - Niterói
Carregando mapa...

Mais informações

  • Site: [http://]
  • Telefone: (21)

Escolas de samba do Rio de Janeiro 2017

Grupo Especial
Domingo: Paraíso do TuiutiGrande RioImperatrizVila IsabelSalgueiroBeija-Flor

Segunda: União da IlhaSão ClementeMocidadeUnidos da TijucaPortelaMangueira
Série A
Sexta: SossegoAlegriaViradouroImpério da TijucaParque CuricicaEstácioSanta Cruz

Sábado:RocinhaCubangoInocentesImpério SerranoUnidos de Padre MiguelRenascerPorto da Pedra
Série B
Terça: Vizinha FaladeiraCaprichososJacarezinhoCabuçuEngenho da RainhaTradiçãoPonteLeãoFavoEm Cima da HoraSanta MartaArameUnidos de Bangu
Série C
Segunda: Vila KennedyArrancoUnião de JacarepaguáBoca de SiriArrastãoLins ImperialVargensVigário GeralUnião de MaricáFlor da MinaCoroadoVila Santa TerezaSerenoLucas
Série D
Domingo: Alegria do VilarDendêVilla RicaMocidade da Cidade de DeusChatubaRosa de OuroManguinhosMocidade de InhaúmaNação InsulanaImpério da UvaMatriz de São JoãoDifícil é o NomeTupy de Brás de PinaCosmosAbolição
Série E
Sábado das Campeãs: Feitiço do RioAmarelinhoCosta VerdeUnidos do SalgueiroJardim BanguCabralMocidade de Vicente de CarvalhoBohêmios da CinelândiaEmbalo CariocaGatoImpério RicardenseChora na RampaColibriBoêmios de InhaúmaDelírioAcadêmicos de MadureiraBoi da IlhaImpério da Zona Oeste
Outros

ResultadosEnsaios técnicosDiscografiaCampeãs (EspecialSérie A - B - C - D - E)