Praia do Flamengo

De WikiRio
Ir para: navegação, pesquisa
Ver também: Bairro do Flamengo, Aterro do Flamengo e Praias da cidade do Rio de Janeiro

A praia

Praia extensa, banhada pelas águas calmas da Baía de Guanabara, de onde se avista o Pão de Açúcar, o Morro da Urca, a movimentação de pouso e decolagens dos aviões no Aeroporto Santos Dumont e, ao fundo, a cidade de Niterói.

A orla da praia estende-se por todo o Aterro do Flamengo, onde a atual conformação geográfica é fruto de uma grande obra de aterramento entre a restinga do Flamengo e a antiga praia do Russel, no bairro do Catete.

A praia do Flamengo tem seu acesso pelo Parque do aterro do Flamengo, outro cenário marcante da cidade que inicia-se no Aeroporto Santos Dumont, no centro da cidade, e vai até a Praia de Botafogo na Zona Sul. O parque foi idealizado como um complexo de lazer, cultura e práticas esportivas.

Qualidade da água

Como praia abrigada dentro da baía de Guanabara, a água geralmente é imprópria para banho, segundo o relatório de qualidade do mar divulgado pelo site do INEA (Instituto Estadual do Meio Ambiente). O fluxo e refluxo da maré por vezes propicia melhora na balneabilidade da água, mas o ideal ali é ficar ao sol e apreciar a paisagem, reservando os banhos de mar para outras praias da cidade.


Evolução histórica da área

Antes da conformação atual, com o Parque do Aterro do Flamengo, a orla original era recortada e com pequenas enseadas, como a Praia do Russel. As primeiras obras de aterramento ocorreram início do século XX, quando foi construída a Avenida Beira-Mar, a Praça Paris e a Avenida da Praia do Flamengo. Com o desmonte do Morro do Castelo, que ficava no centro da cidade, parte do material serviu para novos aterros na região central, como o do Aeroporto Santos-Dumont. Já na década de 1950, as rochas de outro morro, o Morro de Santo Antônio permitiu a construção de um entroncamento na Ponta do Calabouço, passando Glória até curva do Morro da Viúva, formando uma laguna que, posteriormente, foi aterrada. Mais tarde, a área foi ocupada pelo Museu de Arte Moderna (1958) e pelo Monumento aos Mortos da Segunda Guerra Mundial (1960). Anos depois, a parte principal do aterro foi feita com o entulho sendo despejado no mar e formando uma comprida restinga de pedras.

O que fazer

  • Praia - Bom para pegar um bronzeado enquanto curte a bela paisagem, mas não é aconselhável banhar-se devido à poluição.
  • Aterro do Flamengo - Neste amplo parque encontra-se o Museu de Arte Moderna, o “Monumento aos Mortos na Segunda Guerra Mundial”, a Marina da Glória, o Monumento a Estácio de Sá, áreas para prática de esportes, restaurantes e as Praias da Glória e Flamengo. Também foram construídos no Parque o Museu Carmem Miranda, coreto, anfiteatro e teatro de marionetes, e o Pavilhão Japonês, prédio em estilo modernista inspirado na arquitetura japonesa e que é atualmente ocupado pela administração do parque. Inaugurado em 1965, tem área de 1.200.000 metros quadrados. Há inúmeras quadras para práticas de esportes em geral. Uma das características marcantes deste Parque é o seu projeto paisagístico elaborado por Burle Marx, que valeu-se predominantemente de espécies nativas gerando uma paisagem bem brasileira.

Onde Comer

  • Porcão Rios - A melhor churrascaria da cidade, segundo a opinião de grande parte dos cariocas.

Como chegar

O acesso dos banhistas à praia do Flamengo é por passarelas e túneis sobre as vias expressas.


Endereço

Avenida Infante Dom Henrique, S/N - Flamengo (Zona Sul) - Rio de Janeiro
Carregando mapa...